Google+

sexta-feira, abril 10, 2015

Milagres... quem precisa deles ?

Você é dos que acreditam em milagres? Você já pediu que Deus ou alguma outra Potestade Celeste (ou infernal, conforme o caso) que realizasse algo em seu benefício?
Não? Ah, que legal, mas certamente você conhece alguém – ou muitas pessoas – que acreditam em milagres...
Eu conheci algumas, recentemente, quando da internação de ente querido no Instituto do Câncer...

Havia um paciente cujo nome, por razões óbvias, não será mencionado, também em estado terminal e em atroz sofrimento, ,com todo seu corpo tomado pelo câncer, incluindo dois tumores cerebrais.
A presença dos tumores cerebrais mais um sistema de crença religiosa confusa, que misturava os mais tenebrosos aspectos do sincretismo religioso a alguns princípios fundamentalistas “adornados” com toneladas de pensamento mágico faziam o pobrezinho gritar o tempo todo, ora de dor, ora de terror. Ora ele rezava, ora dizia palavras do mais baixo calão, de mistura com trechos de preces e maldições ...
Como espírita sei que, já próxima a desencarnação, não é de estranhar que o enfermo tenha vislumbres do plano espiritual a que está prestas a retornar.
Juntem-se os ingredientes da degeneração mental – manifestando-se como alucinações - provocada pelos tumores, a dor insuportável e as confusas crenças a que já me referi, teremos a receita do desastre.
Não fosse bastante tamanho sofrimento, o doentinho era mantido “acordado” por pessoas – criminosas em minha opinião – que criam não ser possível ir a Deus se o infeliz estivesse inconsciente no momento da morte. A insistência da equipe médica em proporcionar ao menos o alívio às cruéis dores era sistematicamente rejeitada, pois alguns familiares criam com toda a força de sua tacanha teimosia, que Deus operaria o “milagre” de restabelecer a saúde a um corpo tomado pelo câncer.
Ora, nada de errado ou de condenável no crer em “milagres” mas, convenhamos, que Deus é esse que pode restabelecer um corpo totalmente devastado pelo câncer e não pode reverter uma simples sedação? Obrigada, com licença que eu passo...
Mas, voltando aos “milagres”.
Quer conhecer um “milagre” bem real ?
A nossa capacidade de falar...
Do ponto de vista físico falar é um “trabalho muscular” e mais umas coisinhas, tipo:

“A fonação é o trabalho muscular realizado para emitir sons inteligíveis, isto é, para que exista a comunicação oral. O grande objetivo da fonação é a articulação de palavras, através do processo pelo qual se modifica a corrente de ar procedente dos pulmões e da laringe nas cavidades supraglóticas como consequência das mudanças de volume e de forma destas cavidades.
O conjunto das cavidades supraglóticas podem se dividir em três partes: a faringe, a cavidade bucal e a cavidade nasal.
O sistema fonético vincula-se com outros sistemas. A interação destes é parte ativa na função fonética, que é regulada pelo sistema nervoso central e periférico.” (fonte: Wikipedia)
Beleza de milagre, não é mesmo? E está se tratando, apenas, da fonação, ou seja, da capacidade física de emitir sons inteligíveis, resultando disso o milagre fala.
E ela, a fala, é resultado do quê? Tá, sei que o sistema fonético em trelelê (interação) com outros sistemas é regulado pela sistema nervoso central e periférico.
Milagre pra “santo” nenhum botar defeito, não acha?
E, a propósito, como você tem cuidado desse milagre, desse divino dom da fala? Quando fala você parece abrir uma lixeira? Parece acreditar que os ouvidos alheios são sua privada particular (pois existem privadas públicas, perdoem o contradição...)?
Talvez seja bom lembrar e refletir sobre o que Jesus disse:
“A boca fala do que está cheio o coração...”