Google+

terça-feira, abril 07, 2015

Mal entendidos...

Mal entendidos são uma droga !
Certa vez estava eu a conversar com pessoas de meu conhecimento sobre casamento, relacionamentos, separações, reconciliações e coisas que tais. Alguém, que não estava participando da conversa e a isso não fora convidado, meteu o bedelho e disse sei lá o quê, mas certamente alguma pérola de sabedoria própria dos 20 e poucos anos. Não, não estou dizendo que alguém com vinte e poucos anos não tem sabedoria alguma; o que estou dizendo que aos vinte e poucos NÃO SE TEM A EXPERIÊNCIA que só com o passar do tempo é adquirida.

Bem... a certa altura da conversa eu disse que “...pela minha experiência...”, e aí... fedeu tudo !!!
Àquela altura eu teria já mais de 50 anos e meu interlocutor a metade disso, se tanto e o que eu falei com relação a “experiência” foi para dizer que durante minha vida eu tinha presenciado os fatos de que falávamos obedecendo a um certo padrão. Mas não prestou, pois meu interlocutor (que tinha se intrometido na conversa sem ser convidado) preferiu entender que eu estava “pontificando” sobre o tema e estava a desmerecer a sua – dele – experiência.
Ficou pior quando tentei me explicar. Meu malcriado interlocutor – que não se dava ao trabalho de acionar a descarga do vaso sanitário depois de depositar nele o vasto produto de seus saudáveis e bem nutridos intestinos - mandou-me calar a boca. Com todas as letras. Não bastasse isso, ordenou que eu deixasse de considera-lo como pessoa próxima.
Eu não estava em minha casa e era tarde da noite, assim que “enfiei minha viola no saco” e calei minha boca. Duas pessoas mais estavam no mesmo recinto e nada disseram. Nem naquele momento nem em tempo algum.
E que diabos eu estava a fazer naquele ambiente hostil?
Estava providenciando aposentadoria para a mãe de meu mal criado interlocutor. O direito dela estava caracterizado e já poderia tê-lo exercido há mais de cinco anos, faltando, apenas, que alguém se interessasse em tomar as providencias cabíveis.
Quem eram aquelas pessoas? Uma delas, com absoluta certeza, era eu. Quanto às demais, melhor silenciar...
Mal entendidos são uma droga !! As pessoas não, as pessoas são ótimas !!