Google+

quarta-feira, março 12, 2014

Minha educação depende... do quê, mesmo ?

Anos atrás (muitos...) tornou-se de uso bastante comum a exibição de um cartazete dizendo: "A minha educação depende da sua". Quando vi pela vez primeira o tal cartazete senti uma espécie de "frêmito" muito desconfortável em minha medula espinhal e recordo ter dito para mim mesma: "a minha, não". O malsinado cartazete foi retirado de todos os lugares onde o vira exposto, certamente por ordem de alguém com bastante lucidez e bom senso para perceber a "mancada". Dizer que a minha educação depende de fatores exteriores a mim é confessar que não tenho nenhum auto-domínio e que sou simples e barato joguete do "acaso". E como isso pega mal, hein? Tá, tá legal, concedo que em um botequim de quinta categoria o cartazete talvez funcionasse como uma espécie de advertência para valentões, admitindo, claro, que eles soubessem ler... Mas... em uma dependência do Poder Judiciário? Não, definitivamente não. Exemplo de gentileza e boa educação vi ontem na Receita Federal do Brasil, no posto de Santo Amaro. O segurança a quem me dirigi para pedir uma senha me cumprimentou com um belo e cordial sorriso e a funcionária que me atendeu era (e é) de uma elegância e finura sem par. De que "dependeu" a educação deles? Da sua (deles) superioridade espiritual, galerinha do bem :)..