Google+

sábado, fevereiro 01, 2014

Morte morrida...


José Angelo Gaiarsa
Com grande insistência tem me buscado os pensamentos o nome de José Angelo Gaiarsa. Dele eu li apenas dois livros: “Tratado Geral sobre a Fofoca” e “Couraça Muscular do Caráter.”
Gaiarsa “voltou para Casa” em 2010, aos 90 de idade e, segundo foi noticiado, morreu dormindo. Uma beleza morrer dormindo.
À época de seu passamento, afirmou-se que “...a família ainda não sabe a causa da morte...”
Como assim, por exemplo? Aos 90 geralmente se morre de...ter vivido.
Isso me fez lembrar o passamento de parenta de pessoas de meu conhecimento. A senhora falecida estava mais perto dos 100 do que dos 90.
No velório, com um ar compungido no rostinho, pessoa da família comentou: “...ninguém esperava...”
Hã???
Quem não espera que alguém tão idoso morra de um momento para outro, ainda que gozando de perfeita saúde e lucidez?
Meu irmão mais velho, o querido “mano véio” morreu aos 70: era forte pra caramba e mesmo aos 70 ostentava uma bela “barriga tanquinho” e tinha pouca, pouquíssima gordura no corpo. No dia aniversário de casamento deles minha cunhada saiu a comprar um bolo para a comemoração; meu irmão acompanhou-a até o portão e quando virou-se para voltar à casa caiu de comprido no chão: já estava morto. Seu grande coração apenas parou de bater. Foi para “Casa” sem estardalhaço, com elegância e “educação”.